Seg - Qui 8:30 - 17:30 - Sex 8:30 - 17:00
(41) 2106-0010
R. Emanuel Kant 60 - sala 713 a 718

Capão Raso - Curitiba/PR

15 anos da agência e suas principais medidas

Com 15 anos de existência, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) acompanhou o crescimento do setor de saúde e desempenhou papel importante na regulação, normatização e fiscalização dos planos. Dessa forma, o Saúde Business resumiu a história do órgão!

Origem

O setor de saúde suplementar teve origem na década de 1930, com o início da cobrança pela prestação de serviços em saúde. Na década de 50, com o processo de industrialização no país, as instituições hospitalares privadas consolidaram-se como as principais prestadoras de serviço à classe média emergente. As primeiras empresas de medicina de grupo surgiram na década de 60.

Já na década de 90, dois fatos relevantes trouxeram mudanças para o setor de planos de saúde: a publicação do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) e a lei que regulamenta a Saúde Suplementar (Lei nº 9.656/98). Em janeiro de 2000 foi publicada a Lei nº 9.961, que criou a ANS com o objetivo de regular o setor de planos privados de assistência à saúde. Em 2004, com a entrada em vigor do Estatuto do Idoso, ficou proibida a cobrança de valores diferenciados aos beneficiários de planos de saúde em razão da idade.

Confira os números e as principais medidas implementadas ao longo da história:

Saúde Suplementar

– 1.433 operadoras de planos de saúde

– 50,5 milhões de consumidores em planos de assistência médica

– 21,3 milhões em planos exclusivamente odontológicos

Em 2013

– 51,8 milhões de terapias realizadas

– 262,2 milhões de consultas médicas

– 8 milhões de internações

– 565,7 milhões de exames complementares

– R$ 108,2 bilhões em receitas de mensalidades

1° semestre de 2014

– 26,8 milhões de terapias no primeiro semestre

– 133,6 milhões de consultas médicas

– 3,8 milhões de internações

– 565,7 milhões de exames complementares

15 anos de medidas

– Definição de regras de entrada e saída do mercado de planos de saúde;

– Monitoramento sistemático econômico e assistencial das operadoras;

– Introdução de mecanismos de proteção ao consumidor;

– Criação do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde;

– Instituição da portabilidade de carências;

– Determinação de prazos máximos de atendimento;

– Criação da Notificação de Investigação Preliminar (NIP).

Mais recentes

– Inclusão no Rol de Procedimentos de 37 medicamentos orais para 54 indicações médicas;

– Regulamentação da Lei nº 13.003, com novas regras para os contratos entre operadoras e planos de saúde;

– Consolidação do monitoramento e da suspensão da comercialização de planos por descumprimento de prazos e negativas de cobertura;

– Aumento do valor ressarcido ao Sistema Único de Saúde (SUS) nos últimos anos, que atingiu R$ 315,18 milhões em 2014 (até outubro).

*Linha do tempo da ANS com as principais ações implementadas ao longo desses 15 anos.

Fonte: Saúde Business 365

Posts recentes

Fale conosco

Surgiu alguma dúvida, fale conosco!