Seg - Qui 8:30 - 17:30 - Sex 8:30 - 17:00
(41) 2106-0010
R. Emanuel Kant 60 - sala 713 a 718

Capão Raso - Curitiba/PR

Mapa Assistencial da Saúde Suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) torna disponível para consulta em seu portal a publicação Mapa Assistencial 2014, que dá transparência a dados relativos à assistência prestada pelas operadoras de planos de saúde aos seus beneficiários ao longo de 2013.

O Mapa Assistencial da Saúde Suplementar tem como base os dados enviados trimestralmente à ANS pelas operadoras de planos de saúde e mostra um panorama dos procedimentos realizados por  profissionais e estabelecimentos de saúde de suas redes credenciadas.

A primeira parte da publicação apresenta dados absolutos da produção assistencial do setor, além de indicadores construídos a partir da relação entre o número de procedimentos, consultas, internações e despesas e os beneficiários relacionados a esses eventos e despesas.

De acordo com os dados, houve um aumento de 7,3% no número de consultas médicas realizadas em 2013 em relação a 2012 e de 14,6% no número de exames complementares, entre eles, ressonância magnética, tomografia computadorizada, cintilografia miorcárdica e mamografia.

A segunda parte apresenta as estratégias adotadas pela ANS com a finalidade de inserir a promoção da saúde e a prevenção de doenças no contexto de um plano de cuidado integrado, promovendo a qualificação da gestão em saúde, a fim de melhorar a qualidade de vida da população beneficiária de planos de saúde. Entre as iniciativas, destaca-se o Laboratório de Inovações Assistenciais em Promoção da Saúde e Prevenção de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar , que é resultado de uma parceria com a Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e tem como objetivo identificar e dar visibilidade a experiências exitosas e inovadoras no Brasil.

Consulte o Mapa Assistencial da Saúde Suplementar 2014

Fonte: ANS

Posts recentes

Segurança de E-mail

SEGURANÇA DE E-MAIL Ao utilizar o e-mail corporativo devemos tomar alguns cuidados pois nem sempre os mecanismos de segurança tradicionais são suficientes para impedir incidentes na organização.

Leia mais »

Fale conosco

Surgiu alguma dúvida, fale conosco!