Seg - Qui 8:30 - 17:30 - Sex 8:30 - 17:00
(41) 2106-0010
comercial@ctsconsultoria.com.br
R. Emanuel Kant 60 - sala 713 a 718

Capão Raso - Curitiba/PR

As perspectivas de manutenção de crescimento acelerado do setor de saúde odontológica fazem com que o segmento seja alvo de importantes participantes do mercado, como o Banco do Brasil, que prepara estrear sua unidade de seguros na bolsa e quer ganhar espaço neste mercado.

As companhias apoiam suas perspectivas de crescimento no avanço da classe média e na adesão de pequenas e médias empresas. Segundo analistas e executivos ouvidos pela Reuters, apesar da pressão de custos, o ambiente agora é melhor que em 2012, quando a economia mais fraca freou a evolução do setor.

Enquanto a penetração do segmento dental ainda é baixa, o crescimento se mantém acelerado. A perspectiva do mercado é de que o número de beneficiários possa triplicar em até dez anos, disse à Reuters o presidente da SulAmérica, Gabriel Portella, citando estudos.

O total de clientes do setor cresceu 12,1 por cento no espaço de 12 meses terminado em setembro de 2012, segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), ao passo que os de planos de saúde subiram 2,9 por cento no período.

No entanto, a taxa de cobertura por planos de assistência médica no período chegou a 25,1 por cento da população, e os pacotes exclusivamente dentais têm penetração de 9,5 por cento.A BB Seguridade, unidade do BB que está prestes a concluir uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), tem reiterado interesse em parceria com a Odontoprev.

Nesta nova companhia, a BB Seguridade terá participação de até 75 por cento, segundo os termos de um acordo assinado pelo BB e a Odontoprev em 2010, mas que ainda não saiu do papel.Este tipo de negócio é considerado estratégico para a BB Seguridade, “por agregar novos produtos à oferta junto à carteira de clientes do BB e por permitir a entrada em novos canais de distribuição com um portfólio de produtos mais completa”, segundo o prospecto preliminar do IPO.Desde 2009, a Odontoprev já possui uma associação com a Bradesco Dental, do Bradesco, o que lhe garante acesso aos canais de distribuição do banco.

“Sempre houve dificuldade de crescimento por carência de distribuição. Desde a associação com o Bradesco, (…) isso tem lhe permitido largar na frente em relação aos concorrentes”, disse à Reuters o diretor de relações com investidores da Odontoprev, José Roberto Pacheco.

Segundo ele, os planos individuais e voltados para as pequenas e médias empresas são o foco da Odontoprev. A empresa, que afirma ser a maior operadora de planos odontológicos da América Latina, tem quase 6 milhões de beneficiários, seguida pela Uniodonto com 3 milhões de usuários e a Interodonto, com quase 1,3 milhão, que são empresas de capital fechado.

As companhias que atuam exclusivamente no segmento dental, que tem tarifa média menor e ampla rede credenciada, podem concentrar-se melhor em sua área de atuação em comparação do que as que trabalham com vários tipos de seguros ou planos, na opinião do analista Mario Bernardes Junior, da BB Investimentos. Mas ter um portfólio mais amplo é um benefício para as concorrentes.

“Não deixa de ser um risco para ela (Odontoprev) a concorrência de empresas de planos de saúde que ofertam o dental junto”, afirmou.Esta é a oportunidade que a SulAmérica busca, apesar da tarifa mais baixa do segmento dental.

“Para nós significa uma oportunidade de oferecer produtos mais completos. Os dois juntos (dental e saúde) ajudam a complementar bem a nossa estratégia”, disse o presidente da companhia, Gabriel Portella. “Temos obtido taxas expressivas de crescimento (em odonto), é um ramo rentável”, completou.

A SulAmérica encerrou o quarto trimestre de 2012 com 524 mil beneficiários do segmento, alta anual de 16 por cento – enquanto os de planos de saúde cresceram cerca 1 por cento no período.

Os prêmios de seguros odontológicos no período cresceram 17,2 por cento. Segundo a seguradora, a ampliação da base de corretores que distribuem seguros odontológicos e o lançamento de novos produtos impulsionaram este crescimento.

O interesse no setor não é apenas dos participantes nacionais. O grupo norte-americano UnitedHealth selou sua entrada no Brasil com a compra em outubro passado da Amil Participações, atribuindo um valor de cerca de 11 bilhões de reais à empresa e apostando na expansão do mercado brasileiro de saúde suplementar. A Amil fechou 2012 com 18 mil planos de saúde odontológicos, cerca de 14 por cento do total de planos da companhia.

Fonte: EXAME.com

Posts recentes

Fale conosco

Surgiu alguma dúvida, fale conosco!

Categorias