Seg - Qui 8:30 - 17:30 - Sex 8:30 - 17:00
(41) 2106-0010
R. Emanuel Kant 60 - sala 713 a 718

Capão Raso - Curitiba/PR

Saúde suplementar: Mil novos segurados a cada dia

O aumento do poder de compra da população está se refletindo diretamente no segmento de saúde suplementar. É o que sinaliza a pesquisa mais recente divulgada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Segundo os dados apurados, entre junho e setembro do ano passado, cerca de 94 mil pessoas ingressaram nesse sistema. Isso significa mais de 30 mil novos segurados por mês ou aproximadamente mil a cada 24 horas.

O Caderno de Informação da Saúde Suplementar, divulgado pela ANS, indica que,
em setembro de 2011, o número de beneficiários dos planos de saúde ultrapassou
a marca de 47 milhões de segurados, um crescimento de 0,2% em relação ao trimestre anterior. “O número de beneficiários em planos coletivos continua crescendo a taxas acima da média do mercado, porém com diminuição de ritmo”, analisa o superintendente do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), Luiz Augusto Carneiro. Segundo o IESS, o decréscimo de 0,3% de beneficiários de planos médicos individuais, no 3º trimestre de 2011, reflete o momento econômico. No mesmo período, a renda média real da população ocupada teve variação muito próxima de zero, em relação ao 2º trimestre de 2011 (0,02%), reflexo da taxa de inflação, que compromete a renda disponível. Os beneficiários de planos de saúde na faixa etária de 19 a 59 anos é a que mais cresce, 6,6% nos últimos 12 meses, impulsionada pelo crescimento dos planos coletivos empresariais. A faixa etária de 0 até 18 anos tem perdido representatividade relativa, apesar do crescimento em número absoluto
constatado recentemente pela ANS: 3,4% nos últimos 12 meses. E a faixa a partir
de 59 anos, com crescimento de 4,1%, tem mantido sua representatividade relativa.Destaque do Caderno de Informação, o Rio de Janeiro é único estado
brasileiro com crescimento maior de planos de saúde no interior. Conforme os
dados, 71,5% dos beneficiários de planos de saúde se concentram nas regiões de
maior atividade econômica do país, como capitais e regiões metropolitanas.

Dentre os estados compreendidos na pesquisa mensal do emprego do IBGE, o Rio de
Janeiro é o único cujo interior ganhou proporcionalmente mais beneficiários de
planos de saúde do que a região metropolitana (9,3% contra 4,5%). “Essa interiorização do mercado de saúde suplementar é fruto do desenvolvimento
econômico no interior do estado”, afirma Luiz Augusto. CQCS

Posts recentes

Fale conosco

Surgiu alguma dúvida, fale conosco!